O maravilhoso em “O Centauro no Jardim”, de Moacyr Scliar

Pego emprestado, para este texto, a definição de estranho, fantástico e maravilhoso concebida por Todorov (2014). Para ele, a literatura fantástica, majoritariamente escrita em primeira pessoa, existe na incerteza entre o real e o fantasioso. Eventos “mágicos” que no desenrolar da história são explicados de modo natural, isto é, há uma desmistificação do mágico, fazem […]

Noite do Oráculo (Paul Auster) – Resenha

O escritor Sydney Orr passou meses se recuperando de uma doença que quase lhe custou a vida. Numa de suas caminhadas para readquirir força, ele encontra uma nova papelaria e decide entrar. Lá, ele compra um caderno azul feito em Portugal que é central no romance, pois estimula a criatividade do autor até então inativo, mas parece ter terríveis consequências na realidade.