No Jardim do Ogro (Leïla Slimani) – Resenha

NO JARDIM DO OGRO (publicado em português pela Tusquets) é uma história sobre a obsessão sexual feminina: uma jornalista e suas relações extraconjugais para saciar um desejo nunca satisfeito, a cada encontro tentando superar o anterior, sempre terminando em desastre ou frustração. É um livro curto que te deixa furioso com a protagonista em determinados momentos.

O irônico dessa história é a personagem principal ter se casado com um homem muito provavelmente assexual. Ao mesmo tempo, duvido que a história seria diferente se ela estivesse numa relação padrão, pois o que quer é aventura e diversidade.

Para o final do romance, o ponto de vista passa a incluir também o marido, o que me pareceu abrupto demais quando li, algo que não foi previamente estabelecido e aconteceu muito tarde. Agora, percebo que era o único modo para poder contar a história da maneira pretendida. Nesse caso, é um mal necessário.

A narrativa não me pareceu ter uma conclusão, apenas acabou, o que pode deixar alguns leitores frustrados. Por ser um livro curto, minha frustração não foi grande, assim acho que ainda é um romance bem escrito que pode agradar o leitor, se a sinopse instigar.

Como li o livro em francês, não sei dizer se a tradução da Tusquets é boa. Para os leitores francófonos, o vocabulário me pareceu acessível.

Inscrever-se
Notificações
guest
Não será publicado
0 Comentários
Feedbacks de trechos
Ver todos os comentários